Diabo

Hoje o diabo apareceu
E vivia mais próximo
Do que eu imaginava
Talvez o culpado fosse eu
Mas eu não o controlava

Hoje o diabo veio
E sentiu-se muito em casa
Até sentou à minha mesa
Desdenhou de tudo que tenho
Encheu-me de tristeza

O diabo nao teve dó
Tirou minha paz
Me perguntou por que tentas
Se vira pó
Tudo o que faz

No final do dia
Ainda estava aqui
E muito me doeu
Pois eu jamais diria
Que o diabo era eu

Advertisements
Diabo

Tempo

O tempo não passa
Ainda nem acabou o mês
O tempo não passa e eu penso
Que nem vai passar;
O tempo parado e eu
Entediado
Tanta coisa quero fazer
Mas sou condenado a esperar
O tempo que não passa

O tempo passa
Já faz quase um ano
O tempo passou e eu penso
Que nem o vi
Que nem vivi
Tanta coisa havia de ser feita
Mas o tempo me foi pouco
Os dias passaram
E eu fui tolo

Tempo

Seguindo

E eu vou continuar sorrindo
Fazendo piada, tirando sarro, rindo
Pois ninguém vê meu estado
Quando digo que estou dormindo

Eu ainda vou sair de casa
Ver gente e beber com amigos
Pois já te perdi
Não importa o que faça

E quando perguntarem como eu estou
Vou dizer que bem
Mas eles não vão perceber
Que continuo olhando pra fora
Sabendo que você não vem

E eu vou seguir em frente
Escondendo o que tem aqui no peito
É assim que tem sido
E eu não conheço outro jeito

Seguindo

Ensaio sobre a dúvida

Talvez eu não confesse
As coisas que sinto
Mas não se apresse nas decisões
Muito menos se estresse
Pois tudo que acontece
Também me dói
E não és a única que se entristece

As vezes penso
Que não importa o que faço
Nada consegue te mostrar
A tristeza que eu passo
Cada dia longe do seu abraço

Tu te aborreces comigo
Mas eu não sou perfeito
Tudo que eu carrego no peito
É bastante, mas sem jeito
Por isso peço um pouco mais de paciência
Um dia eu me ajeito

Pois a vida junto desses olhos claros
É menos doída
Essa vida
É a vida que eu aceito

Ensaio sobre a dúvida